Tel: 47 3368.4756 / 3368.4412

WhatsApp: 47 99215-0479

secretaria@atlanticoeducacional.com.br

Rua 260A nº388

Meia Praia

Itapema-SC

whatsapp-colégio-atlântico

Ser feliz é um estado de espírito

03/05/2019

Você costuma conversar com seus filhos sobre felicidade? Afinal, estamos sempre correndo atrás dela, certo? O problema é que felicidade é um conceito complexo que nos confunde o tempo todo. Então vamos começar essa conversa com duas reflexões importantes. Primeira: ninguém é feliz o tempo todo, felicidade é um estado de espírito que tem seus altos e baixos. Segundo: desconfie do excesso de felicidade que vê nas redes sociais, pode ser ‘fake news’.

 

 

Dito isto, vamos voltar a falar sobre os filhos. O motivo pelo qual achamos importante conversar sobre felicidade com crianças e adolescentes é o número alarmante de pesquisas mostrando que os jovens estão mais infelizes do que nunca.

 

É certo que ser adolescente é complicado, mas de acordo com um estudo publicado pelo periódico Emotion, os últimos anos têm sido ainda mais difíceis para quem enfrenta esta fase da vida. E o motivo é simples: a ascensão das redes sociais e dos smartphones.

 

Os pesquisadores analisaram dados de uma pesquisa feita com jovens da 8ª série, 1º e 3º anos do Colegial, conduzida desde os anos de 1990, chamada Monitoring the Future. A amostra inclui mais de um milhão de adolescentes de 13 a 18 anos.

 

A análise surpreendeu os pesquisadores, que encontraram uma queda no bem-estar geral a partir de 2012. E a relação com os smartphones não surge de forma aleatória: 2012 foi o primeiro ano, nos Estados Unidos, em que mais de 50% dos americanos afirmaram possuir um aparelho – entre os adolescentes, o número chegou a um terço. Em 2016, o alcance subiu para três quartos.

 

O líder da pesquisa, Jean Twenge, professora de psicologia na Universidade de San Diego, se apoia em outro estudo para corroborar sua tese: em 2016, pesquisadores pediram que voluntários ficassem sem usar o Facebook por uma semana. O resultado? Eles ficaram mais satisfeitos com suas vidas e demonstraram emoções mais positivas.

 

 

Relações interpessoais

 

Na verdade, quanto mais tempo passamos em frente a uma tela, menos sobra para relações interpessoais. Por isso, para Tal Ben-Shahar, psicólogo e primeiro professor do curso de Psicologia Positiva de Harvard, dosar o tempo entre redes sociais e a vida real deve ser parte importante do projeto de felicidade de cada pessoa.

Segundo o professor, uma pesquisa da norte-americana Associação para Ciências da Psicologia, realizada em 2010 com mais de 14 mil jovens com até 20 anos de idade, mostra que o nível de empatia diminui entre os jovens, o que, além de um problema para a sociedade, é um impeditivo para alcançar a própria felicidade.

 

Na teoria criada por Ben-Shahar em Harvard, há cinco principais elementos que conduzem a busca pessoal pela satisfação com a vida, e um deles consiste no desenvolvimento de relacionamentos interpessoais.

 

E tem mais: pesquisa da Girlguiding, principal organização filantrópica focada no bem-estar de mulheres no Reino Unido, também mostrou que as meninas e jovens mulheres andam mais infelizes, e a principal fonte de desconforto entre elas está nas redes sociais.

 

Segundo o estudo, apenas 25% das entrevistadas se descreveriam como "muito felizes" e 59% das garotas entre 11 e 21 anos apontaram as redes sociais como uma das maiores causas de estresse. Metade das participantes na mesma faixa etária afirmou que o sentimento de infelicidade acaba impactando sua saúde física

 

Sintomas precoces

 

Este é o grande problema! Esse sentimento crônico de infelicidade acaba gerando muito cedo nos jovens sintomas como frustração, ansiedade, angustia e tristeza, o que tem levado até ao suicídio. 

Para fugir desse cenário deprimente, pais e familiares devem conversar constantemente com as crianças e adolescentes, falando sobre a ‘ditadura da felicidade’ que vem se fortalecendo e obrigando as pessoas a serem felizes o tempo todo, mesmo que seja de forma falsa e forçada.

 

 

 

Então confira três dicas de ouro para cuidar do bem-estar dos seus filhos:

 

Ignore a felicidade da internet

 

Feche os olhos para tudo que você vê na internet, as pessoas não estão vivendo tudo aquilo que aparentam. Todas as coisas que as pessoas postam na internet são editadas, manipuladas e muito bem selecionadas.

 

 

 

 

 

Aceite e curta os momentos tristes

 

Muitos casos de depressão são justificados por ausência do tempo de sofrimento, ou seja, pessoas que lutam para serem felizes o tempo todo e não dão um tempo de “luto” para o corpo. Valorizar o momento de tristeza é essencial para que os momentos felizes sejam bem aproveitados.

 

 

 

 

 

 

Conviva com a felicidade e com a tristeza

 

A vida é feita de momentos felizes e tristes, tentar evitar um dos dois sentimentos não é natural e pode causar problemas à saúde, como foi mostrado anteriormente.

 

 

 

 

Não existe uma vida feliz e plena, os momentos oscilam entre felicidade e tristeza. Momentos ruins sempre vão existir, mas os bons vão compensá-los.

 

Please reload

Colégio Atlântico