Tel: 47 3368.4756 / 3368.4412

WhatsApp: 47 99215-0479

secretaria@atlanticoeducacional.com.br

Rua 260A nº388

Meia Praia

Itapema-SC

whatsapp-colégio-atlântico

Mindfulness para crianças e adolescentes

12/03/2019

   Educar crianças e adolescentes é um grato desafio que traz muita satisfação, mas também inúmeras dificuldades. Uma ferramenta que tem mostrado resultados incríveis é o Mindfulness, traduzido para o português como “atenção plena”.

 

   Trata-se de um estado mental e o conjunto de técnicas e exercícios meditativos que permitem alcançá-lo. “O Mindfulness é conhecido como uma técnica de meditação, mas é um estado da mente, uma atitude. Esse estado é sustentado pela meditação formal – que é muito importante, mas também temos outras práticas e exercícios”, explica Moira Malzoni, especialista em mindfulness pela Universidade da Califórnia, Los Angeles, e proprietária do estúdio Moved by Mindfulness, em São Paulo.

 

 

   As práticas de Mindfulness, encontradas em diversas culturas e cada vez mais incorporadas na psicologia e na medicina, consistem, basicamente, em focar a atenção na experiência do momento presente.

 

   Um dos principais diferenciais é que ele não precisa ser praticado em um momento ou em uma situação específicos. “É para aplicar no dia a dia. Você pode estar Mindfulness o dia inteiro”, diz Marcelo Maia, especialista pela Unifesp e sócio de Moira no estúdio, chamando atenção para o fato de que não se trata de um exercício de relaxamento, mas de atenção.

 

   Vancouver, no Canadá, adotou a prática para auxiliar no aprendizado de crianças em torno dos sete anos: o dia de aula nunca começa sem antes os alunos praticarem a meditação. O método, utilizado desde 2015 nas escolas da cidade canadense, mostrou-se uma prática pedagógica eficaz e tornou-se fonte de inspiração para iniciativas semelhantes ao redor do mundo. 

 

   No Brasil, o Mindfulness é uma prática popular há poucos anos, porém recentemente passou-se a pensar na aplicação da prática para crianças, o que pode trazer diversos benefícios, como:

  1. Melhoria da qualidade de vida e do autocuidado;

  2. Cuidado com a saúde mental, que resulta na prevenção de doenças como depressão e ansiedade;

  3. Incremento das funções executivas, muito ligadas à flexibilidade cognitiva, e do autocontrole, que são coisas fundamentais para o aprendizado.

 

   Outra questão muito importante é o controle do estresse tóxico, que é aquele que está acima dos limites aceitáveis e que, normalmente, vem de um contexto familiar difícil. Ele é um fator muito prejudicial para o aprendizado: a criança não consegue se concentrar, tem alterações de humor, de sono e de memória. O Mindfulness também atua nesse sentido.

 

 

Como praticar

 

   Especialistas sugerem começar a prática com algo tão simples quanto compartilhar uma atenção de qualidade com as crianças, momentos em que se está realmente presente. É sentar por dois minutos para tomar água, perguntar como foi a escola e realmente ouvir a resposta, sem fazer várias coisas ao mesmo tempo. É, de fato, estar com a criança.

Outra possibilidade, ainda, é criar pequenos jogos. Como exemplos, propor que a criança conte o número de placas vermelhas ou de árvores que aparecem no trajeto até a escola. Pode parecer um joguinho simples, mas traz a atenção para o momento presente.

 

   Mas atenção: é fundamental que os pais conheçam as técnicas de Mindfulness antes de tentar passá-las para os filhos!

 

Exercícios para crianças e adolescentes

 

• Quietinho feito um sapo

 

   Através desse exercício, a criança aprenderá a ser paciente, relaxar e manter a calma, além de compreender a importância da postura e da respiração corretas para a prática da meditação.

Primeiro, explique a seu filho que a rã é um animal que pode dar grandes saltos, mas que também é capaz de estar bem quieta, observando tudo o que passa a seu redor, sem reagir de imediato.

Mostre-lhe como respirar, fazendo um par de respirações profundas com muita calma. Convide-o a brincar de ser uma rã. Mostre como a barriga se enche quando entra ar e se esvazia quando sai o ar.

 

   Durante um tempo curto de 1 minuto, vocês devem estar sentados, respirando como a rã, quietos, notando apenas como a barriga se enche e se esvazia.

 

Recordando objetos

   Leve seu filho para um passeio em um entorno específico: um bosque, o caminho para o colégio, um trajeto de carro, uma rua, uma visita a um museu.

Explique-o que esta vez farão Mindfulness. Logo deve estar bem atento a tudo o que vê pelo caminho. Ao finalizar o passeio, peça-lhe que recorde 5 coisas que tenha visto. Que coisas eram (uma árvore, um animal, um prédio…)? Como era cada coisa?

Motive-o a perceber as qualidades de cada uma dessas coisas recordadas, sem julgá-las, sem dizer se é bom ou ruim, bonito ou feio, simplesmente apreciando as características que a formam.

 

Vejo você

   Vejo você é uma atividade que motiva o desenvolvimento da emoção. É ferramenta maravilhosa para despertar a empatia e criar vínculos afetivos.

 

   O jogo deve ser realizado em duplas, um de frente para o outro. Durante um tempo, temos de olhar-nos nos olhos sem perder o contato. Manter a mirada atenta é o foco de concentração.

 

Respiração da abelha

 

   Essa técnica pode ser feita cada vez que observe que a criança está nervosa e precisa acalmar seus pensamentos.

 

   Essa respiração se chama abelha porque no momento da exalação (saída de ar) devemos pronunciar a letra “m”, como um zumbido de uma abelha.

 

   Primeiro, peça a seu filho que tape à orelha com as mãos até que não escute nada do mundo exterior. Depois, feche os olhos. Inspire ar pelo nariz profundamente e quando deva exalar, faça o barulho do zumbido da abelha. Repita o exercício quantas vezes quiser.

 

 

Jogo do silêncio

 

   Para realizar o exercício, sente-se em um lugar tranquilo junto com seu filho. Convide-o a estar em silêncio, tal como as montanhas ou as flores. Peça que feche os olhos e se mantenham tranquilos e atentos até que se termine o tempo.

 

   Se a criança tem uns dois anos não terá muita noção do tempo. Por isso, para que ele compreenda a atividade, sugerimos que você deixe visível um medidor de tempo. O modo mais lúdico é usar uma ampulheta com tempo de 1 minuto. Mas caso não tiver uma, utilize um relógio.

 

Cheire e conte

   Cheire e conte é um exercício de Mindfulness muito eficaz contra a ansiedade. Entregue à criança algo aromático. Pode ser, por exemplo, um gomo de laranja ou limão, um sabonete ou alguma erva aromática, como hortelã. Peça-lhe para fechar os olhos e descrever o que sente ao cheirar o objeto. Ensine-o a focar sua atenção em apenas um dos sentidos.

 

O que falta aqui?

   Um excelente exercício de Mindfulness para trabalhar a observação e a memória se chama ‘O que falta aqui?’.

 

   Para realizá-lo serão necessários 10 objetos cotidianos. Mostre à criança, durante 10 segundos, esses elementos. Todos devem observar, em silêncio, cada um dos objetos. Em seguida, peça que tapem os olhos com as mãos e retire uma das coisas. Enquanto abram os olhos, peça que digam ‘O que falta aqui?’.

 

Círculo de atenção

   Para essa atividade de Mindfulness, será necessário formar um grupo de ao menos cinco pessoas. Aquela responsável por conduzir o jogo deve apresentar um material que devemos todos ir passando de um a um com muito cuidado e atenção. Podemos usar, por exemplo, um sino que não deve soar.

 

   Cada criança deve ser responsável por observar o sino, sem deixá-lo soar. É uma tarefa que trabalha também sua habilidade para ter atenção ao que está fazendo, para evitar que o objeto emita qualquer som.

 

Boletim meteorológico

   Sentados comodamente, peça que seu filho feche os olhos e busque descobrir como se sente. Compare as emoções ao tempo. Pergunte-lhe: Que tempo está fazendo dentro de você?

 

   Peça que ele observe se o sol brilha e se sente relaxado, ou está para chover, ou, quem sabe, está a ponto de ocorrer uma tormenta. Peça-lhe que note, de forma amável e curiosa, o tempo que faz dentro dele, dizendo simplesmente o que há. Os estados de ânimo mudam segundo muda o tempo. Uma tormenta é passageira, logo ensine-o a observar como ela passa por si só. Cabe a ele aceitá-la como parte da vida, sem julgar.

 

 Namastê!

 

Please reload

Colégio Atlântico