Fale sobre dinheiro com os filhos desde pequenos!

Você já se perguntou qual é a idade ideal para começar a falar sobre dinheiro com as crianças? A maioria dos pais tem dúvidas sobre isso. Na verdade, conversar sobre esse tema nem sempre é fácil, mas os especialistas em educação são unânimes em dizer que o aprendizado sobre o valor do dinheiro deve começar bem cedo, afinal, na pré-escola – entre 3 e 4 anos –, a criança já começa a ter noção de tempo e quantidades.

Quando os filhos começam ainda pequenos nessa jornada o resultado é um adulto financeiramente maduro com maior probabilidade de ser bem-sucedido, ou seja, independente e capaz de viver uma vida mais tranquila, plena e equilibrada.

 

Falar de economia e finanças deve ser recorrente na família toda, afinal, quem não quer ter segurança no futuro sem se preocupar com dívidas? E mais: a relação da família com o dinheiro serve de exemplo para os pequenos, portanto, cuidado!

 

 

Para atingir essa maturidade é preciso conversar muito e seguir algumas regrinhas importantes. Mas nosso foco aqui, hoje, está nas crianças, então vamos entender com dicas práticas como proceder para que elas saibam a importância de economizar e compreendam que não devem gastar toda a mesada no primeiro brinquedo que surgir.

 

1. Comece cedo

Introduza o tema no momento em que as crianças começarem a contar. Mostre algumas moedas e ensine o valor de cada uma.

 

2. Mesada e estudo não se misturam

Aí pelos 7 anos a criança já pode começar a gerenciar a mesada, mas ela não deve ser prêmio por boas notas. Estudar é responsabilidade.

 

3. Poupança

Ensine seu filho sobre reserva financeira para que ele alcance objetivos de curto, médio e longo prazo. Método: adesive quatro porquinhos de cerâmica com as palavras: investimento, doação, poupança e gastos.

  • Gastos são objetivos de curto prazo, o que ele quer no momento.

  • Poupança são objetivos de médio prazo, é algo que ele quer realizar em seis meses, como a compra de um brinquedo.

  • Investimento está relacionado ao longo prazo. Uma reserva financeira para um carro ou faculdade.

  • Doação se refere a dar algo em troca do que recebe.

 

4. Reserve

Separe do orçamento (mesada) a parcela destinada ao que deseja guardar. A reserva financeira deve ser encarada como uma despesa fixa, não como o que sobra do orçamento.

 

5. Conquista tem valor

Às vezes é preciso esperar e juntar dinheiro para comprar o que deseja. Mostre isso!

 

6. Querer não é precisar

Tudo que passa na TV a criança pede. É preciso explicar a diferença entre precisar e querer.

 

7. Dinheiro de plástico

Quando usar o cartão de crédito, explique para a criança como ele funciona. Fale sobre o conceito de crédito e alerte sobre os perigos do cartão.

 

8. Dinheiro vem com trabalho

Deixa claro para seu filho que dinheiro não cresce em árvore. Explique como é o seu trabalho e por que você é pago por ele. Uma forma de explicar é dizer quais são suas atividades diárias e o valor da sua hora.

 

9. Decisão conjunta

Inclua a criança em pequenas decisões financeiras. Educação financeira é baseada em escolhas. No supermercado, separe um valor e diga que ele tem que escolher um produto com o que tem na mão.

 

10. Dinheiro não é tudo

Ensine que o dinheiro é só uma ferramenta para chegar aonde se quer, é uma ferramenta que pode proporcionar um bem ou uma experiência. Mas existem valores mais importantes como viver momentos em família, educação, ética e cidadania.

 

Que tal colocar em prática essas dicas e auxiliar seus filhos desde pequenos a ter uma boa e consciente convivência com o dinheiro?

 

 

 

 

 

Please reload

Colégio Atlântico

Tel: 47 3368.4756 / 3368.4412

WhatsApp: 47 99215-0479

secretaria@atlanticoeducacional.com.br

Rua 260A nº388

Meia Praia

Itapema-SC

whatsapp-colégio-atlântico